segunda-feira, junho 09, 2008

Fotográfico n.2

No retrato antigo
Olhos refratam a dor
Da alegria eterna

Antonio Laranjeira

domingo, março 09, 2008

Termo

Palavras emudecem devagar.
Só a presença:
Sem bom ou mau presságio.
Depois de tudo, o corpo esconde
o que é irrevogável.

Antonio Laranjeira

domingo, fevereiro 24, 2008

Poema de amor

Tudo apenas fantasia.
Quando, ao fim do dia, a noite cai
Não há voz, nem luz
Só o céu, buraco-negro
E o silêncio – espelho cego
num desterro.

Antonio Laranjeira