segunda-feira, dezembro 24, 2007

Ausência

Sala, móveis,
pratos vazios.
Ruídos mudos:
A dor só do corpo
Preenche o ar
Espesso...
Antonio Laranjeira

Um comentário:

Lima Trindade disse...

Querido, uma hora a ausência fica tão repleta da presença que parece fazer os móveis, os pratos, os recintos, o corpo e a dor calarem para um repouso, um sonho em que todo espaço nunca é vão, é puro preenchimento.