sábado, outubro 27, 2007

Permanência

o corpo são paredes
lavadas em sangue
limite tênue para a vida que explode
em átomos, moléculas
suor, urina e esperma
tudo é tremor: a peste, o Risco.
o tempo pesa sobre a pele e oprime
o corpo que cresce com as perdas
nasce e morre com os dias
vira muitos com a memória
e resiste baqueado:
em nacos de carne suturados a esmo.

Antonio Laranjeira