sábado, julho 29, 2006

Náusea

Amanhã:
Tempo de lucidez.
Quarto de hospital
Branco
Lençóis brancos.

Do centro da espinha,
Vidro fosco, subcutâneo.

E fere, e sangra.

A mancha adensa
Olho arregalado
Boca engolindo tudo:
O Risco.

Amanhã:
A náusea,
o engasgo e
o silêncio.

Antonio Laranjeira

3 comentários:

Janaína Calaça disse...

Amanhã para mim é segunda-feira, dia de praguejar a semana.
O prazer é sempre seguido da consciência do prazer e da sua imposição de finitude. Deixemos de sentir prazer então para não termos que nos deparar com a sua finitude ou deixemos tudo fluir como água corrente molhando os pés.
Saudades,
beijos,
Jana

leilalopes disse...

Sabes do amanhã assim branco, lúcido ou um vazio de náusea?
...
Veja se gosta das minhas margens:
www.leiluka.fotoblog.uol.com.br
Os passos vieram dos "civilizados". Beijo.

Lima Trindade disse...

Simplesmente du caralho!!!!