domingo, março 05, 2006


Poema de amor (REF. #07012006)

Não vou dizer que amor é fogo
Que meu corpo arde de desejo
Prefiro o eco de um grito rouco
Na madrugada,
um susto, um lampejo...

Antonio Laranjeira

5 comentários:

Priscila Fernandes disse...

De volta à madrugada.

Priscila Fernandes disse...

Revista CULT do mes sobre Roland Bathes.

Perdigotos disse...

Assim que vi Barthes na capa, comprei a revista!

L. F. Calaça disse...

O amor é um soco no estomago. E, de duas uma, ou somos masoquistas e gostamos de apanhar, ou somos boxeadores. 9que comentário esdrúxulo, mas tudo bem). Depois colocamos gelol nos hematomas.

Priscila Fernandes disse...

Eu também! A matéria está ótima. Senti falta apenas de ler um pouco mais sobre o encontro "psicanálise e literatura" que Barthes passou um bom tempo teorizando.