quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Risco

Dorme nos meus ombros
Perigo duma vida inteira
Sangue umedecendo o lenço
Medo em ermo noite adentro
Universo em expansão...
O corpo abriga pasmado:
A sede, a fome, o gozo
Perigo duma vida inteira
Adensando o ar que inspiro
Mutilando-me por dentro
Me inteirando de sentidos
A cada instante que morro

Antonio Laranjeira

4 comentários:

Mary disse...

Tudo muito lindo aqui... Voltarei com mais calma. ;)

Priscila Fernandes disse...

Uma das que mais me impressionaram.

Priscila Fernandes disse...

Se puder dá uma olhada nesse blog http://carlosbesen.blogspot.com/. Estou esperando poemas novos aqui!

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Muito bom.

*CC*