quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Poética

Somente a dor atiça
[não o masoquismo]
É como a peste

O corpo treme
[gozo e mal-estar
não sei informar]
O bicho lá dentro
No fundo de mim
Uivando liberdade

Pra ele o corpo é pouco
A cerca fere a pele
Arranca os pêlos

O corpo é pouco
O mundo, demais

Antonio Laranjeira

2 comentários:

L. F. Calaça disse...

Enclausurante!

Priscila Fernandes disse...

"O corpo é pouco/ O mundo, demais"

...sobre issso só o silencio...